LEIA NOSSOS ARTIGOS ATUALIZADOS

Quem Somos


Aliança Batista no Brasil se propõe a ser um organismo de identidade batista e caráter ecumênico, constituído por pessoas e grupos identificados com os princípios expressos neste documento, os quais tanto reafirmam a riqueza de uma tradição cristã que zela por algumas liberdades essenciais (livre interpretação da Bíblia, liberdade congregacional e liberdade religiosa para todas as pessoas), como também expressam a consciência do privilégio de ocupar um lugar junto aos demais participantes do corpo de Cristo no Testamento de sua Graça e Evangelho a todos os seres humanos e a preocupação com a dignidade da vida, a integridade da criação e a promoção da justiça a todos os que dela precisam.
Portanto, buscando nos apropriar crítica e criativamente da liberdade e dos princípios que historicamente identificam o movimento batista, e como parte de nossa vocação pessoal e comunitária para ser discípulos e discípulas de Jesus Cristo e servos e servas juntamente com os demais cristãos no mundo, nos comprometemos com:
I. A liberdade do indivíduo para ler e interpretar as Escrituras, guiado pelo espírito de Deus na família da fé, em diálogo com a compreensão histórica da igreja e os métodos acadêmicos contemporâneos de investigação do texto bíblico.
II. A liberdade da igreja local para, sob a autoridade de Jesus Cristo, organizar sua própria vida e missão, elegendo homens e mulheres para sua liderança, conforme seus carismas e ministérios.
III. A relação ecumênica com todo o corpo de Cristo manisfesto nas várias tradições cristãs, a cooperação e o diálogo interreligioso.
IV. Um estilo de liderança marcado por serviço, equidade, colegialidade e colaboração de todo o povo de Deus, segundo o modelo de Jesus.
V. A educação teológica nas igrejas locais, faculdades e seminários, caracterizada pela mediação da palavra de Deus e pela investigação acadêmica responsável.
VI. A proclamação das Boas Novas de Jesus Cristo a todos os povos e o chamado de Deus à fé, à reconciliação, à esperança e à promoção de todas as formas de justiça que assegurem a dignidade da vida e a integridade da criação.
VII. A liberdade religiosa para todas as pessoas e a separação institucional entre igreja e estado, em oposição a qualquer tentativa por parte da igreja ou do estado de usar o outro para os seus interesses particulares.
Para a realização dos princípios acima definidos, busquemos:
I. Desenvolver uma espiritualidade integral em todas as nossas práticas.
II. Promover oportunidade de relacionamento dentro e fora da Aliança, buscando a plena reconciliação proporcionada pelo Evangelho de Cristo.
III. Celebrar a diversidade da vida e da humanidade em todas as suas formas, respeitar as diferenças d promover o diálogo.
IV. Proporcionar lugares de acolhimento para os feridos ou ignorados pela igreja, sendo deliberadamente inclusivos e oferecendo a graça e a hospitalidade de Deus a todas as pessoas.
V. Defender a causa dos empobrecidos e proscritos da sociedade.
VI. Lutar pela justiça com e para os oprimidos.
VII. Empreender todos os esforços necessários para o cuidado do planeta.
VIII. Trabalhar incansavelmente em prol da paz com justiça.
IX. Honrar a sabedoria e o aprendizado contínuo.
X. Manter-nos responsáveis pela equidade, colegialidade e diversidade nas nossas estruturas e organizações.
Reconhecendo a dinamicidade do desenvolvimento histórico, a liberdade da ação contínua do Espírito de Cristo e os limites das nossas percepções e contexto histórico-temporal, afirmamos ser imprescindível a revista periódica dos compromissos e intenções desta Carta, em amplo diálogo com os integrantes da Aliança que se forma, bem como com os demais cristãos.

14 comentários:

  1. Muito me entristece a posição da ABB em incentivar o aborto nos casos de microcefalia. Ainda mais levando em conta que só é possível a confirmaçao a partir do sexto mês de gestação. Que postura cristã é essa que despreza a vida ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem coisa muito pior que isso. De marxismo a gramcismo discarado, casamento homoafetivo celebrado nas igrejas etc. Tolerância e compreensão de nosso papel cristao de sermos observadores e não juizes é uma coisa... isso ai é outra. É um antro de comunistas, pós-medernistas apostatas.

      Excluir
  2. Sou Batista nao sou a favor do ecumenismo e nem a favor do aborto. Esta aliança nao me representa ja que distorcem os ensinos de Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  3. É com pesar que me pronuncio a respeito de questões que ferem e agridem a moralidade e a ética cristão.Entendo que nenhum argumento teológico tem respaldo bíblico para tal,independente de ser batista,sou cristão e não posso concordar com tal atitude,que ferem os princípios que regem uma família.

    ResponderExcluir
  4. Não sou a favor de receber como membros pessoas homoafetivos nas nossas igrejas pelo texto claro do Ap. Paulo :Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
    E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
    Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
    Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
    Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
    E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
    E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
    Estando cheios de toda a iniqüidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
    Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
    Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
    Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.
    Romanos 1:22-32 Sem genuino arrependimento não há salvação. Pr.JBL.

    ResponderExcluir
  5. PERIGO! ESTA ORGANIZAÇÃO NÃO REFLETE O PENSAMENTO BATISTA E TEM POSICIONAMENTOS CONTRÁRIOS AOS DA CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveriam ser processados por usar esse nome Batista quando não são.

      Excluir
    2. Isso ai é um puxadinho do PT com o nome batista, falsidade ideológica descarada.

      Excluir
  6. ESTA DITA ASSOCIAÇÃO DE BATISTAS NÃO É DE BATISTAS, E SIM, DE PESSOAS QUE ESTÃO TENTANDO DENEGRIR A IMAGEM DA CENTENÁRIA DENOMINAÇÃO BATISTA NO BRASIL QUE SEMPRE PAUTOU PELA ÉTICA, PELA MORALIDADE, PELO AFASTAMENTO DE TODO TIPO DE IDOLATRIA E PELA SEPARAÇÃO DO ESTADO. ESTA ENTIDADE NÃO ME REPRESENTA.
    Pastor José Alencar

    ResponderExcluir
  7. Não me representa. Sou Batista e muito me entristece ver falso profetas denegrindo a verdadeira mensagem do Evangelho, ainda mais usando um nome tão respeitado pelo mundo todo. Lamentável!

    ResponderExcluir
  8. Ser batista ou anabatista não é necessariamente ser membro de uma igreja ligada a esta ou aquela denominação. Para dar só um exemplo, os batistas da CBB antagonizam os batistas da Convenção Batista Nacional, no entanto, estes também são batistas!
    Hoje, a exemplo do que ocorre com os evangélicos em geral, há um sem número de correntes doutrinárias e teológicas entre os batistas e, consequentemente, outro sem número de denominações batistas. John Landers (Teologia dos Princípios Batistas, JUERP, 1986) vai dizer que "Os batistas defendem a liberdade religiosa porque crêem na competência do indivíduo diante de Deus. Se cada pessoa é responsável por si mesma por que forçá-la a conformar-se a uma predeterminada religião? Qualquer lei que impõe uma crença fere o princípio da competência do indivíduo" (p. 116).
    Daí podemos concluir que qualquer batista que impõe aos outros o seu "único" jeito de ser batista, fere o princípio batista de liberdade de pensamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem nada a ver com restrição a liberdade de pensamento. Tem a ver com essa instituição ser um puxadinho do PT com o nome Batista estampado nele. Beira a falsidade ideológica isso ai.

      Excluir
  9. Um movimento relevante que busca resgatar o evangelho de Jesus de Nazaré.

    ResponderExcluir