LEIA NOSSOS ARTIGOS ATUALIZADOS

segunda-feira, 25 de março de 2019

Círculos de Debates: ser negro/negra em Alagoas

     A Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro em parceria com o Fórum Permanente de Negritude da Aliança de Batistas do Brasil, a Coordenadoria Ecumênica de Serviço e a Igreja Batista do Pinheiro apresenta CIRCULOS DE DEBATES: SER NEGRO/NEGRA EM ALAGOAS. 
     
     Alagoas é o berço da maior resistência negra da história, está localizado neste estado a Republica dos Palmares – Quilombo dos Macacos, o mais organizado e duradouro.  Nos dias atuais a resistência continua, mas o avanço da violência em direção a esta população jovem e negra vem em um crescente assustador.  Reportagem diz que em dez anos só tem crescido a diferença entre jovens brancos e negros em relação a morte, traz a manchete: “Apartheid da violência”- “Negro tem 17 vezes mais chance de ser assassinado em Alagoas do que branco, maior diferença racial do país”. (UOL, 2018). Os números são devastadores e inaceitáveis a maior população de Alagoas, é negra.

     Com base nesses dados a Pastoral da Negritude e o Fórum Permanente de Negritude da Aliança de Batista do Brasil promove no Salão Didaquê, na Igreja Batista do Pinheiro, o “Círculos de debate SER NEGRO/NEGRA EM ALAGOAS” um evento que fomentará a discussão dessa temática, racismo e violência, com a comunidade interna e externa, igreja, organizações da sociedade civil, órgãos dos governos municipais e estaduais, tentando identificar onde acontece e porque acontece essa violência, refletindo se contribuímos com isso e se sim, o quanto contribuímos.
     Bem como buscar nortes para a discussão junto as esferas públicas que trabalham com essa temática dentro de nosso estado, buscando identificar o que tem sido feito para minimizar as práticas violentas, o que pode ser feito para mudarmos a realidade dessas pessoas que vivem à margem, dando a eles e elas a oportunidade de um outro tipo de vida, que possa leva-los/as a se manter distante da violência, uma vida com justiça e equidade.

     A expectativa dos organizadores é atrair pessoas que tenham interesse na temática para promover conhecimento, e o diálogo entre a sociedade civil, a igreja, órgãos municipais e estaduais, para construção de uma rede de atuação, e apoio no que diz respeito a organização de mobilizações entre esses grupos, na busca de promover ações de combate as práticas da manutenção desse crime, buscando uma atuação que venha extinguir essa violenta realidade.

O jornalista Carlos Madeiro, do site UOL, e o advogado Pedro Montenegro estiveram presentes, sendo palestrantes no primeiro encontro do evento.

Serviço:
O que: “Círculos de debate SER NEGRO/NEGRA EM ALAGOAS”
Quando: 23 de março, 13 de abril, 11 de maio (subida a Serra da Barriga) e 15 de junho,
Onde: Salão Didaquê, na Igreja Batista do Pinheiro
Rua Miguel Palmeira, 1.300. Pinheiro, Maceió/AL
Parceiros: Igreja Batista do Pinheiro, Fórum Permanente de Negritude da Aliança de Batistas do Brasil e Coordenadora Ecumênica de Serviço

Fotos: Primeiro Encontro do Evento dia 23 de março de 2019.

















sábado, 23 de março de 2019

AOS NOSSOS IRMÃOS E IRMÃS MUÇULMANAS, NOSSA SOLIDARIEDADE FRATERNA

AOS NOSSOS IRMÃOS E IRMÃS MUÇULMANAS, NOSSA SOLIDARIEDADE FRATERNA

O Fórum de Diálogo Inter-religioso do Rio Grande do Norte e a Aliança de Batistas do Brasil – ABB, unem seus corações e vozes  à daqueles que sofreram o massacre em Christchurch, Nova Zelândia na Sexta-Feira de orações de 15 de março de 2019. Expressamos aqui o nosso horror e profunda tristeza por esse ataque. Essa tragédia inominável é uma combinação tóxica de violência armada, Islamofobia, xenofobia e racismo branco nacionalista.

O ataque em Christchurch segue o mesmo padrão de ataques a mesquitas, sinagogas, igrejas, terreiros e casas de adoração de todos os tipos. Ataques contra pessoas de fé ou contra pessoas que não professam fé alguma. Conclamamos os governos locais, nacionais e mundiais a iniciarem um esforço global coordenado de combate à violência racista, ao preconceito religioso e à circulação livre de armas.

Permanecemos fiéis ao diálogo inter-religioso e à solidariedade com nossas irmãs e nossos irmãos muçulmanos. Derramamos nossas lágrimas junto com as famílias que perderam entes queridos nesse massacre, e oramos a Deus que conforte e cure essas pessoas bem como às comunidades envolvidas.

Como Fórum e Aliança, somos uma família composta por pessoas de diferentes religiões, estamos comprometidos na luta pela exaltação dos seres humanos em qualquer condição por refletirem em suas faces o rosto do Criador.

Fórum de Diálogo Inter-religioso do Rio Grande do Norte e Aliança de Batistas do Brasil - ABB.
21 de março de 2019.

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

DECLARAÇÃO DA ALIANÇA DE BATISTAS DO BRASIL



A LAMA E OS ESCOMBROS DE BRUMADINHO

            Consolar famílias, denunciar injustiças e tecer esperanças é o objetivo dessa nossa declaração, diante da imagem dolorosa da enxurrada de lama e dos montes de escombros trazidos pela tragédia de Brumadinho.
            A queda estrondosa da barragem, três anos depois do desastre de Mariana, a lama transformada em mar, transformaram também em escombros histórias de amor e de vida, mas paradoxalmente também destruíram muralhas de insensibilidade, estabelecendo um rio de lágrimas solidárias,  à medida que se vão anunciando e nomeando propriamente as vítimas.
            Escrevemos chorosos, no ritmo do choro concreto das famílias que perderam seus amados e amadas,  e “sem parar os nossos olhos vão derramar lágrimas até que o Senhor olhe lá do céu e nos veja” (Lm 3,49-50), como chorou o profeta Jeremias diante da destruição de Jerusalém, mas isso não basta.
            Somos a Aliança de Batistas do Brasil, uma organização de pessoas e igrejas evangélicas, dispostas a viver o evangelho em solidariedade e luta contínua por um mundo com mais amor e mais justiça. Diante disso, nossa declaração se transforma em oração de confissão e compromisso.
            Confessamos omissão diante de injustiças e equívocos em nossas posturas como cristãos, incapazes de perceber que muralhas e barreiras se erguem constantemente sobre as nossas cabeças, ameaçando a paz e a segurança de nossa vidas.
            A barragem de Brumadinho e outras, são metáforas arquitetônicas da prevalência arrogante do lucro sobre o amor. Analistas nos lembram imediatamente que a queda das ações da mineradora é efeito passageiro e os acionistas não precisam ficar preocupados. Bastam lembrar que em Mariana, depois de um período de baixa, em condições similares, houve uma disparada de duzentos por cento no preço das ações, assegurando lucro aos investidores. A precificação de tragédias deveria nos causar asco e confessamos que as engolimos com certa facilidade.
            Confessamos o nosso silêncio diante do desmantelamento do IBAMA, por exemplo, o único órgão que alertou sobre a possibilidade do desabamento, reduzido sistematicamente em sua estrutura e saqueado em seus recursos de agente público de proteção ao meio ambiente. Desse modo, a declaração oficial do nosso governo de que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente se torna discurso suspeito e vazio.
            Então, com dor no coração e lágrimas nos olhos, nos comprometemos diante do Deus de toda justiça e misericórdia, guiados pelo sopro da Divina Ruah, no seguimento corajoso de Jesus de Nazaré, a gritar e a lutar para que as palavras do profeta Isaías se tornem realidade: “No país, haverá justiça por toda parte; todos farão o que é direito” (Is 32:17).
            O barulho estrondoso do rompimento da barragem de Brumadinho ecoou pelo mundo inteiro como um grito de denúncia de um sistema fundamentalmente injusto, e o nosso compromisso aqui assumido publicamente é que o nosso grito seja ainda maior, contra todas as estruturas de morte erguidas pelo Capital, e que denúncias e ações concretas sempre acompanhem nossos gritos, nossas lágrimas e nossas orações, confiantes que  “a justiça trará paz e tranquilidade, trará segurança que durará para sempre”, (Is, 32,17.

            Recife, 29 de janeiro de 2019

            ALIANÇA DE BATISTAS DO BRASIL
            Marcos Monteiro - Redator
            Paulo César Pereira - Presidente
            Nivia de Souza Dias - Vice-presidente
            Josileide Jose dos Santos - 1.ª Secretária
            Pr. Eduardo Ohana Calil - 2.º Secretário
            Pr. Bruno Moreira da Silva Clemente - 1.º Tesoureiro
            Pr. Jefferson Santos da Silva - 2.º Tesoureiro
            Flávio Conrado - Secretário Executivo

             Conselho Fiscal:
             Marluce Leite de Oliveira
             Pr. Valdenicio Santos de Oliveira
             Josilene da Silva

domingo, 27 de janeiro de 2019

Nota de Pesar




Com profundo pesar fomos surpreendidos na tarde de ontem, 26 de janeiro de 2019, com a inesperada e trágica morte do nosso querido amigo e companheiro de caminhada ALESSANDRO RODRIGUES ROCHA.

Pastor amoroso e comprometido com o Reino de Deus, voz sempre profética e sensível ao sofrimento dos mais vulneráveis, professor e teólogo criativo e brilhante, alma generosa e comprometida com a vida.

Ao tempo em que lamentamos essa irreparável perda, em lágrimas nos colocamos ao lado da família, no desejo de nos ampararmos mutuamente e juntos buscarmos as consolações do Espírito Santo, na certeza de que um dia, juntos, desfrutaremos da plenitude do Reino que hoje ele já desfruta.

Recife, 27 de janeiro de 2019

Paulo César Pereira - Presidente
Nivia de Souza Dias - Vice-presidente
Josileide Jose dos Santos - 1.ª Secretária
Pr. Eduardo Ohana Calil - 2.º Secretário
Pr. Bruno Moreira da Silva Clemente - 1.º Tesoureiro
Pr. Jefferson Santos da Silva - 2.º Tesoureiro
Flávio Conrado - Secretário Executivo

Conselho Fiscal:
Marluce Leite de Oliveira
Pr. Valdenicio Santos de Oliveira
Josilene da Silva